São Tomé: Angolares, Praia Jalé e Praia Piscina



Foi com grande expectativa que, no terceiro tour que fizemos à ilha de São Tomé, rumámos para sul da cidade. O tempo estava agradável, com boas abertas de sol, e adivinhavam-se paisagens de cortar a respiração. Finalmente iria ver as famosas praias Jalé e Piscina de que tanto ouvira falar. Enquanto a norte da cidade existem poucas praias com boas condições (as praias de Tamarindos e das Conchas são as mais cobiçadas), a sul são umas atrás das outras, quase sempre vazias. E a verdade é que à medida que fomos descendo, foram muitos os suspiros contemplativos. Passámos pela praia de Micondó, pela praia das Sete Ondas e pela praia de São João dos Angolares. Esta última, não é tão apetecível para banhos, mas tem um enquadramento paisagístico fabuloso. E almoçar no "Nelito", com vista para esta praia, foi seguramente um dos pontos altos da viagem!. Foi a melhor refeição de todas as que fiz, com a melhor vista e o melhor serviço! Uma dica preciosa da minha amiga T. , residente na ilha, que me disse "Se fores comer à Roça de São João não comes nada mal e o sítio é agradável. Mas vais pagar 15 euros por cabeça. O Nelito é mais em conta e a vista é uma coisa  que......só vendo....depois dizes-me o que acháste.". E eu digo que foi um almoço de quase duas horas, verdadeiramente memorável, com uma vista estupenda e um preço do outro mundo para um menu de degustação com 5 pratos deliciosos! Entrada de caranguejo, pratos de peixe, banana flambé, tudo acompanhado de uma cerveja fresca local. Valeu cada cêntimo!

A praia Micondó vista da estrada. Vazia....

O caminho até São João dos Angolares é bastante acima da média. A viagem faz-se em cerca de uma hora e um quarto. A estrada está em boas condições e até estranhei a falta de solavancos do jeep. Mas de São João para a frente é de fugir! Os buracos têm muita pouca estrada... Mas dá perfeitamente para fazer um passeio de um dia até ao sul e voltar com várias paragens para banhos. Convém levar uns snacks porque há muito poucos sítios onde se pode parar para comer. A meio da tarde, a fome apertou e não encontrávamos nenhum sítio para comer. Mas depois lembrei-me da conversa de uma ex-colega de trabalho que nasceu em São Tomé. Disse-me, em tempos, que onde quer que estivéssemos na ilha,  bastava chamar uns putos e dar-lhe uns trocos para eles nos irem apanhar jaca, coco ou banana. E assim fiz. Foi só conversar com uns putos de catana que vimos à beira da estrada e pouco depois estávamos  já consoladinhas a beber água de coco e a comer o miolo. E os putos felizes da vida a vestirem roupa nova (fui espalhando presentes pela ilha fora). Gosto tanto destes improvisos!
Os marcos da estrada são bem portuguesinhos


Outro sinal bastante antigo

E agora a vista da estrada em São João dos Angolares, digam lá se não é qualquer coisa? Lembrou-me imenso o nordeste brasileiro. Aliás, por várias vezes comparei S. Tomé com o Brasil. Estive em locais que se me dissessem que ficavam na Costa Verde, abaixo do Rio de Janeiro, acreditava.



Este rochedo de mil metros de altura é conhecido por "Cão Grande" e
é um dos ex libris da ilha.


Outro momento inesquecível desta viagem foi atravessar esta estrada que vêm na imagem acima e de repente atravessar uma núvem de falcões a voar! Estavam todos pousados na estrada até o nosso jeep passar. Nunca tinha visto tantos falcões de uma só vez e nunca tinha tido tantos a voar à minha volta.


A senhora da direita, com quem estivemos um pedaço à conversa,
era ruiva!!! E o bebé que tinha às costas....ruivo era!
Uma imagem comum em cada vila: o peixe a secar o sol. Quase ninguém
tem frigorífico em casa para conservar o que pesca...
Praia das Sete Ondas


Ao fundo, o ilhéu das Rolas. Optei por não ir lá já que ia
ao Príncipe que supera, e muito, as Rolas em beleza.
A Praia Jalé, mesmo a sul da ilha, onde as tartarugas vão desovar em
certas alturas do ano. Dezembro é o melhor mês para as ver em acção.


O Jalé Ecoresort aluga 4 bungalows com cama de casal a turistas com espírito aventureiro, já que fica num local bastante isolado. A água corrente é proveniente das chuvas e só existe uma casa de banho, para partilhar entre todos. Ah, e não há electricidade. Ou seja, a partir das 17h30, somos só nós, o mar e alguns morcegos. Atreviam-se?


Depois de salivar com tanta praia de água azulinha e grandes areais, parámos para banhos na Praia Piscina.



A "piscina" que dá nome à praia. Estava um bocadito sujo o fundo do mar, com latas
 e garrafas dos piqueniques de domingo,... Ainda assim, a água
era cristalina e tinha imensos peixinhos para ver.
A cor da água: apetitosa!
Um outro resort, novinho em folha, perto da Praia Inhame. Vi as casas por dentro
e eram bem simpáticas. Preço:80 euros por noite  um bungalow para 2 a 4 pessoas.

Nesta imagem "só" dá para contar 10 falcões. Mas eram às dezenas e assim
que o Jeep se aproximou, começou tudo a voar por cima de nós.


15 comentários:

  1. São Tomé e Príncipe é uma paixão:
    http://www.flickr.com/photos/84539764@N00/sets/72057594099759790/detail/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, obrigada por partilhar o seu link. Tem fotos magníficas! Parabéns! Se não é profissional de fotografia, parece ser.

      Eliminar
  2. Não, não sou profissional de fotografia, simples amador um pouco compulsivo, nada mais... muito obrigado pelo piropo. A propósito de São Tomé, e por falar aqui da Roça São João e do João Carlos, fizemos hoje para entrada do almoço (havia convivas das expedições santomenses!) a receita de camarão com manga a fls. 36 do livro "Na Roça com os Tachos". Digo-lhe, de comer e chorar por mais. Aproveitei a ocasião para falar no facto, q desconhecia, de existir um albergue no Príncipe propriedade da Misericórdia. E a preço imbatível. Conhecia - conheço - o de São Tomé, mas foi o seu blog a dar-me a conhecer esse outro refúgio. É q no Príncipe as alternativas são escassas, como bem refere, e ou são más ou custam uma perfeita fortuna. Só mais um apontamento, este a propósito da foto aqui inclusa da mulher de cabelo ruivo, prende-se com o facto de os holandeses, no século xvii, lá terem estado de alguidar e pucarinho quase uma década. E a genética... Parabéns pelo blog e pela belíssima prosa simples e descontraída. É q também é muito bom viajar pelos olhos e pela escrita dos outros. Obrigado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela sua mensagem. Pelos vistos, os holandeses não andaram apenas por Cabo Verde, onde vi bastantes negros louros e de olhos verdes, principalmente na ilha de Santiago. E que bom que é saber que o meu blog pode ser útil a terceiros. Foi por isso mesmo que o criei.
      São Tomé e o Príncipe marcaram-me muito, são destinos onde gostava muito de voltar, embora haja tanto mundo para conhecer. Em breve, relatarei a última viagem que fiz, no mês passado, ao norte de Inglaterra e Escócia.

      Eliminar
  3. tambem eu espero visitar essas paisagens..sabem como sao as chuvas de abril? chove dias inteiros ou sao chuvas fortes mas rapidas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso não sei, mas posso perguntar a quem la viveu. Vou indagar e depois respondo.

      Eliminar
  4. Olá Elsa,
    Vou a São Tomé e ao Principe em finais de Julho (2014). O seu blog tem-me ajudado imenso a elaborar o programa.
    Como tb tenho o bichinho das viagens (e da fotografia) leio tudo o que vai escrevendo e adoro. Vera

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vera, obrigada pela sua simpatica mensagem. Se precisar de mais informações esteja ã vontade para me escrever. E se puder levar coisas para oferecer às crianças verá como ficam felizes. Eu levei roupa, canetas e sabonetes. Depois conte como foi. Boas férias e espero que goste tanto destas ilhas como eu gostei.

      Eliminar
  5. Vale a pena contratar um guia em São Tomé?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não tem amigos na ilha que a levem a passear, é o melhor que faz, até porque as estradas são táo más que alugar carro seria uma aventura e uma perda de tempo. Eu vi algumas pessoas com Jeeps atolados. E eram Jeeps...

      Eliminar
  6. Bom dia!
    A sua descrição é fantástica. Vou a STP em Julho e gostaria de saber se me pode dar algumas dicas.
    Apenas vou estar 2 dias em São Tomé por isso queria aproveitar ao máximo. Enviei email a um guia que me falou de 3 rotas: rota do café (centro), rota do cacau (Norte) e rota do equador (Sul). Mas os preços pareceram-me exurbitantes. No seu caso levou guia? Das três rotas qual é a mais apetecível?
    Eu também optei por não ir ao ilhéu porque vou ao príncipe e dizem que é muito melhor.
    Obrigada pela ajuda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luana, eu fiz esses passeios todos e o melhor é sem dúvida o do sul, embora todos tenham interesse. Não sei que preços lhe deram, mas provavelmente deram-lhe um preço por carro e não por pessoa. Quanto mais pessoas forem no carro, mais económico fica. Experimente pedir valores ao Cau: https://guiaturisticostp.wordpress.com/

      O Príncipe é um lugar muito especial, eu ainda gostei mais do que de São Tomé. As praias são de capa de revista e as pessoas um encanto.
      Os meus guias foram o Sandimo e o Isaías:
      Sandino: sandino.5@hotmail.com
      Isaias: isaiascassandra@gmail.com

      Tente rebunir pessoas para fazer os passeios consigo. Depois conte como foi a sua experiência. Divirta-se!

      Eliminar
  7. Olá Elsa! Muito obrigada pela sua ajuda. Mandei e-mail ao Cau e acho que vou mesmo optar por ir com ele fazer a rota do sul. Pareceu-me muito caro (€75 por pessoa com almoço incluído na roça São João) mas não encontrei alternativas e não queremos arriscar ir sozinhos. Não sei se podemos escolher almoçar noutro sítio.
    Depois temos mais um dia em São Tomé, temos que escolher entre a rota do cacau e a rota do café.
    No príncipe acho que não compensa tanto ter guia. Os preços são exurbitantes e acho que vou aproveitar para descansar na praia.
    Sabe onde posso comprar sapatos para andar na areia?
    Desculpe fazer tantas perguntas mas esta viagem vai ser mesmo especial 😎
    Muito obrigada

    ResponderEliminar
  8. Eu fui com a minha família a S. Tomé no final de Janeiro e o nosso guia foi o Jenkis, que conhecemos à saída do Aeroporto. Fizemos os tours do Sul e Norte da ilha com ele, 5 estrelas. Ele tem um site com os contactos: http://www.guiasaotome.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela dica, já ouvi falar dessa empresa.

      Eliminar